Artigo
Categorias

Não importa se são startups ou mega corporações, estamos todos precisando assumir novos papéis para construir uma sociedade mais justa economicamente, mais balanceada em suas diversidades e, especialmente, mais engajada na melhoria do mundo ao seu redor e no qual extrai valor.

Pude ouvir CEOs, CMOs, CTOs e CSOs de algumas das maiores potências do mundo. Entre elas, MICROSOFT, UBER, IKEA, WIKIPEDIA e JPMORGAN. E a questão principal é sobre Ética na gestão dos dados e sobre propósitos mais elevados na construção de experiências mais significativas e não apenas mais relevantes.

Estamos vivendo um momento em que a grande transformação é a de valores de uma sociedade que ganhou o poder de definir o mundo que deseja para si. Tudo isso por meio das escolhas que faz, desde produtos e serviços que consome até os conteúdos que propaga e produz.

Experimentação
Estamos experimentando um momento em que a força da convicção, colide fortemente com a crise de confiança generalizada em uma sociedade que se sente manipulada e invadida pelo universo digital, ao mesmo tempo em que espera customização individual do que recebe do meio ao seu redor.

Vamos precisar refazer os laços de confiança uns com os outros. Para as empresas, isso significa deixarem de pensar como corporações e entidades executivas, para pensarem pura e simplesmente como pessoas que se sensibilizam com as necessidades e questões das outras ao seu entorno.

Transformação pessoal
Todos nós precisamos despertar para o fato de que o que temos a oferecer para os outros não são apenas produtos ou processos melhores de consumo, e sim transformação pessoal por intermédio de conhecimento lido, vivido e experimentado.

E não apenas fornecido de forma fria e incapaz de se adaptar ao indivíduo, em seu contexto de absorção ideal, o que, de forma objetiva, significa que tudo que tocar a todos nós, precisa ser capaz de atender necessidades objetivas. Mas, acima de tudo, precisará nos “tocar” naquilo que suporta nossos propósitos e buscas pessoais.

Transformação social
A transformação é social e a sociedade digital é global… estamos presenciando uma mudança pela primeira vez simultânea e homogênea nesta visão compartilhada do mundo ideal, ao mesmo tempo em que, sob o ponto de vista de infraestrutura, cultura e maturidade digital, cada continente e nação vive seus desafios particulares na corrida do ouro digital.

E sermos capazes de potencializar os valores desta nova sociedade, adaptando a atuação empresarial para entregar valor, contribuindo para melhorar regionalmente a vida cotidiana, passa a ser o principal objetivo daqueles que são e serão os verdadeiros agentes da transformação da era digital.

Leia também: Websummit, dia 02

O digital não é a resposta. A união e um mundo conectado por propósitos mais nobres é que são. Façamos nosso papel enquanto peças deste tabuleiro global da melhora das condições de vida, dentro de uma sociedade que age para o bem do todo e não apenas para ganhos individuais.

Não estou falando sobre deixar de focar em lucro, estou falando de criar lucros econômicos sobre construções comerciais capazes de gerar valor no entorno social dos seus modelos de negócios.

Artigos Relacionados
E-commerce O impacto do coronavírus no e-commerce

O Covid-19 é uma doença infecciosa causada pelo mais recente vírus da família Coronavírus descoberto. O surto teve início na China e se espalhou para outros 159 países, tornando-se uma pandemia declarada pela Organização Mundial da Saúde. Com o crescente número de infectados no Brasil, a população recebeu a orientação de realizar quarentena por tempo indeterminado para conter a transmissão em massa do vírus. Neste cenário, empresas e pessoas precisaram adaptar sua rotina e sua forma de consumo. Nesta página, vamos atualizar constantemente com dados e notícias do setor para que marcas e e-commerces possam se manter bem informados e mantendo a saúde de seus negócios.

Jonas Risovas Camila Franca 24 março 2020