Artigo
Categorias

Estamos vivendo a era da transformação digital, a qual a tecnologia está inserida na maior parte dos processos dentro das empresas. E então, a gente se pergunta, onde entram as pessoas de fato? Elas serão substituídas por toda essa nova tecnologia?

A resposta é, de fato, não. As pessoas são parte fundamental da estratégia do seu negócio. O capital humano pode ser um dos maiores direcionadores do seu negócio, porém, para isso acontecer, é necessário que a sua equipe seja bem treinada, instruída, que receba acompanhamento, e o mais importante, que esteja alinhada com os valores e a cultura da companhia.

Para que a sua marca seja representada de forma correta para o consumidor final, é necessário um trabalho de dentro para fora. A imagem que a sua marca irá passar aos seus clientes finais está diretamente relacionada a imagem que o time interno enxerga dentro da empresa.

Ou seja, é necessário que a empresa tenha os seus valores e a sua cultura organizacional muito bem definida, e que todo o seu time interno tenha “comprado” essa cultura, que ele esteja alinhado com o propósito da companhia, para assim desenvolvê-lo levando até os consumidores finais.

Conexão com propósito e cultura

Sabemos que a parte técnica de um profissional é muito relevante para a equipe, mas, antes de tudo, fica claro que, para direcionar o seu negócio e posicionar a sua marca no mercado, a conexão de um profissional com a essência e a cultura da sua empresa é fundamental e inegociável.

A partir do momento que você contrata pessoas que têm fit com os seus valores, automaticamente, esse profissional tem afinidade com o seu consumidor final. O que gera chances muito maiores de você ter a sua marca bem representada no mercado por pessoas adequadas junto ao seu cliente.

O treinamento é fundamental

Treinar os seus colaboradores é essencial para garantir conexões assertivas, nivelar expectativas, estabelecer relacionamentos e mostrar o que a sua marca representa na mente dos consumidores.

A relação que acontece entre seus colaboradores e seus consumidores é o que estabelece a imagem da sua empresa. Por isso é tão importante padronizar o atendimento, treinar os seus funcionários para que realmente a imagem que você deseja seja passada de uma forma que represente de fato a sua empresa.

Falando em padronizar o atendimento, é importante lembrar que nenhum atendimento deve ser “mecânico”. É essencial personalizar a forma como você trata cada um de seus clientes, dar voz a ele, entender o que ele precisa, quais as suas dores e necessidades, o que é importante para ele.

Agora, mais do que nunca, é fundamental ouvir o seu consumidor, é isso que eles buscam. E é isso que você deve focar no treinamento com a sua equipe. Da mesma forma que você também deve ouvi-la. O seu time pode trazer insights importantíssimos para o treinamento e visões diversificadas.

Em tempos de home office, como manter o time engajado?

Hoje, a maioria das empresas estão passando por uma remodelagem no seu modo de trabalho. O home office se tornou uma realidade para muitos, surgindo a necessidade da integração de novos processos para a realização de treinamentos com o time e formas de mantê-lo engajado.

O trabalho remoto por si só já é uma forma de manter o engajamento da equipe, uma pesquisa realizada pela ADP Research Institute mostrou que 29% dos funcionários que atuam remotamente se dizem totalmente engajados, contra 18% que atuam em escritórios. O estudo ouviu quase 20 mil pessoas de 19 países.

Porém, existem diversos outros fatores que preocupam os líderes e gestores de área em relação a motivação de suas equipes. Longe do ambiente de trabalho, a comunicação se torna mais difícil, o padrão de produtividade pode não se manter por diversas causas, e a boa experiência do profissional durante o expediente pode estar prejudicada.

Um dos principais pontos para manter o time engajado é trabalhar a comunicação interna. É importante que o colaborador não se sinta sozinho, mas sim, que ele se sinta pertencido a empresa, mesmo estando longe do escritório e dos colegas de trabalho.

Lembre-se: a comunicação deve se manter a mais parecida possível da presencial. Evite ter muitas reuniões no dia e vários check-ups de área. Isso pode causar o sentimento oposto, gerando desconforto e desmotivação no colaborador.

No home office, a prática de feedback se torna ainda mais importante e fundamental. É nítido que estamos em um momento onde as pessoas precisam enxergar o seu potencial e o seu diferencial na empresa. E isso pode ser feito por meio de reconhecimento, feedbacks, prática de one-a-one, ferramentas de desempenho, etc.

Para concluir, sabemos que o consumidor é o centro do nosso negócio. Mas junto dele, o nosso time também é. Só conseguiremos provar valor a nossa marca, se tivermos um time muito bem alinhado a nossa cultura e muito bem treinado para entregar valor aos nossos consumidores.

Com as pessoas certas, conseguimos fazer o nosso negócio decolar.

Artigos Relacionados
× Como podemos ajudar?