Artigo
Categorias

Não é bem novidade de que o conteúdo é uma parte fundamental da comunicação efetiva de uma marca. A pandemia e o isolamento social nos fizeram repensar atitudes comuns do dia a dia, como a forma que trabalhamos ou nos relacionamos com as pessoas, tudo isso muito conectado ao atual maior facilitador da comunicação: o digital.

Com o isolamento social, pesquisas apontam uma mudança expressiva no consumo de conteúdo. Para se ter uma ideia, só em março deste ano – quando a quarentena passou a ser realidade para grande parte dos brasileiros – foi registrado um aumento de 120% no fluxo de pessoas que assistem TV no horário nobre. Outro grande impulsionador de conteúdo de marca aliado ao entretenimento é o boom das lives. Segundo dados do YouTube, as buscas por conteúdo ao vivo cresceram 4.900% só no Brasil. Em escala mundial, esses números também são expressivos, chegando a um aumento de 19% nas transmissões ao vivo na plataforma no mês de março. Como explicar o sucesso deste formato? Nas lives, as pessoas reforçam o sentimento de comunidade, muito valorizado no período de isolamento social. Com o crescimento da demanda de conteúdo, também cresce a necessidade de produção deste modelo. Em caráter estratégico, é um momento decisivo para que as empresas tomem a atitude de adaptar e rever as formas de negociação e relacionamento com o seu público. E não basta apenas pensar em números, o consumidor está cada vez mais autônomo e isso faz com que a sua busca por conteúdo seja mais crítica. Ou seja, o desenvolvimento de conteúdo de valor, relevante para o público, é o que mantém o destaque e a permanência de uma marca na lembrança do consumidor. Aqui vão algumas dicas para ser mais assertivo, não só agora, mas em qualquer produção de conteúdo para o seu negócio:

Como a marca se posiciona é o norte para entender o que e por que comunicar ao seu público.
A presença digital das marcas proporcionou uma visão mais macro da empresa para seus consumidores. Isso quer dizer que eles não estão interessados apenas no produto ou serviço que é oferecido, mas sim no que a marca tem a acrescentar no seu segmento, na forma com que se preocupa com seus colaboradores, na sua atitude e engajamento em temas relevantes e como abraçar uma causa.

O consumidor deposita a confiança na marca e a eleva ao status de referência do seu segmento, podendo cobrar dela este posicionamento. Por isso, a coerência é fundamental na construção dessa narrativa. Neste momento de pandemia, saem na frente as marcas que se preocupam genuinamente com a proposta de people first.

O impacto de um bom storytelling
Historicamente, uma boa narrativa tem o poder de prender a atenção das pessoas e conectá-las através da identificação, da empatia ou da curiosidade. Se você ainda não descobriu como contar a história da sua marca, está perdendo um grande potencial de aumento de receita relacionados a marketing de conteúdo. A construção de uma narrativa de marca pode aumentar o engajamento nas redes socais, o fluxo de pessoas que acessam o seu site organicamente ou, até mesmo, dar uma nova cara a uma apresentação comercial. Tudo é questão de entregar o conteúdo certo para o público certo. De novo, reforçamos a importância de uma narrativa que exponha um posicionamento genuíno. Não adianta construir um storytelling que não faça sentido com a realidade da marca, é essa coerência que garante a adesão do consumidor. No momento que estamos passando, além da perspectiva do público, temos uma forte carga emocional no consumo de determinados conteúdos. Então, como se comunicar neste momento delicado? O tom do discurso nas redes sociais que promovem a solidariedade, a empatia e questões como responsabilidade social e ambiental são caminhos bastante interessantes. Converse de verdade com o seu público e ouça o que ele fala. Não importa se seja uma crítica, reclamação ou elogio. Tudo faz sentido na construção da narrativa de uma marca que quer se manter ou ficar bem posicionada.

Tudo é questão de “timing”
O ciclo de vida de um tema no virtual é bem relativo, mas geralmente é muito rápido. Por isso, estar alerta a tendências é uma estratégia que funciona, se feita com cautela. Para que a estratégia funcione, não se esqueça de entregar informação de fontes seguras e confiáveis que se conectem com a proposta da marca. Manter uma rotina de planejamento de postagens e produções também é algo relevante a se fazer. Estar alerta a mudanças faz com que você entenda a hora de mudar o planejamento, aproveitando a oportunidade certa para se comunicar.

Não tenha medo de explorar canais diferentes
Some os recursos e se adapte a novas formas de se comunicar usando canais diferentes. Aí vai uma tendência vinda direto da China que pode ser uma realidade para o consumidor brasileiro daqui algum tempo. Apelidada de “shopstreaming”, que basicamente é uma live onde os vendedores apresentam produtos e tiram dúvidas dos consumidores em tempo real, essa tendência é uma alternativa que usa o conteúdo de uma forma diferente da adotada no formato atual como patrocinadora de eventos de entretenimento. Mas aí minha marca só vai se destacar com grandes produções? Claro que não! A lista de canais é bem extensa e tem muito potencial para ser explorada. Veja alguns exemplos:

Reforçar e/ou melhorar a qualidade do SAC: naturalmente, o virtual passou a ser um dos canais mais procurados com o isolamento social. Seja nos canais de atendimento tradicionais ou no atendimento das redes sociais (também conhecido como SAC 2.0), a linguagem, o tratamento personalizado, a preocupação com resolver o problema ou a dúvida do consumidor, tudo isso faz parte de uma boa estratégia de conteúdo.
Conteúdo interativo nas redes sociais: aqui você usa o timing para produzir conteúdo atrativo e relevante para o seu público. Sua marca pode adotar um tom mais amistoso e próximo, lembrando sempre da coerência. Pensa só: o meme é legal e está em alta, mas tem a ver com a imagem que eu quero passar do meu produto ou serviço?
Produção de conteúdo rico: seja por post blog, webinars ou infográficos. O Inbound Marketing permite inúmeras possibilidades de fazer essa conexão usando conteúdo como um dos pilares mais importantes.
Produção de vídeos: já pensou na relevância de criar um canal no YouTube da sua marca? Se você está disposto a investir neste formato, preste atenção no que poderia ser informado no canal, além da produção de um cenário e na edição e tratamento dos vídeos.
Explore o interesse do seu público interno e futuros colaboradores: cases no LinkedIn, rotina corporativa em outras redes sociais e promoção de debates relacionados também fazem o consumidor olhar com bons olhos para a sua marca, além de trabalharem a relação com colaboradores e atraírem talentos mais qualificados.

No geral, para desenvolver uma boa estratégia de conteúdo é necessário, às vezes, se desprender de alguns modelos tradicionais e estar ciente que essa proposta pode ter ajustes ao longo de cada execução. Se você se sente inseguro para começar, lembre-se de pesquisar bastante, se preparar para o máximo de imprevistos e usar a criatividade ao seu favor. Isso tudo faz com que você possa colher excelentes frutos, mesmo em meio a uma crise.

Artigos Relacionados
E-commerce Boas práticas para a entrega de produtos em meio à crise

A recente pandemia que assolou o mundo trouxe uma mudança de rotina para a população. Com a recomendação do Ministério da Saúde de realizar o distanciamento social, varejistas de todo o país precisaram repensar a forma como se comunicam com seus clientes. Com este cenário, as entregas de produtos também entraram na discussão para buscar alternativas saudáveis e corretas para evitar a proliferação do vírus. Confira abaixo algumas das medidas simples que podem ser adotadas desde o pequeno até grandes negócios.

Jonas Risovas DRIVEN.cx 14 abril 2020
E-commerce Perfil do consumidor: por que ele é fundamental para alavancar o seu negócio

Em um mundo cada vez mais marcado pela conectividade digital, é fundamental ter boas ferramentas e métodos para conhecer bem o perfil do seu consumidor: quais são as suas motivações, hábitos e emoções ao comprar determinado produto e serviço, bem como mapear todos os pontos de contato entre o cliente e a sua marca. Confira alguns estudos sobre o tema e entenda mais esse cenário.