Artigo
Categorias

A recente pandemia que assolou o mundo trouxe uma mudança de rotina para a população. Com a recomendação do Ministério da Saúde de realizar o distanciamento social, varejistas de todo o país precisaram repensar a forma como se comunicam com seus clientes. Com este cenário, as entregas de produtos também entraram na discussão para buscar alternativas saudáveis e corretas para evitar a proliferação do vírus. Confira abaixo algumas das medidas simples que podem ser adotadas desde o pequeno até grandes negócios.

Disponibilização de máscaras para os entregadores

A primeira medida que pode ser adotada pelas empresas de delivery e pelas transportadoras é a disponibilização de máscaras para os entregadores. De acordo com a nova recomendação do Ministério da Saúde, o uso de máscara será estendido para além de pessoas com sintomas da doença. A indicação é que toda a população use máscaras, tendo o artefato como uma barreira eficiente contra a proliferação do vírus. O órgão ressalta ainda que o foco é usar máscaras alternativas como os modelos feitos de tecido, assim, as cirúrgicas e as N95 ficam direcionadas para os profissionais de saúde e enfermos.
Antes da utilização de máscaras alternativas, cabe às empresas checarem os meios corretos de manuseio e higienização. 

Uso de spray de álcool nas sacolas

Uma forma de transmitir confiança aos clientes durante a entrega é mostrar, pessoalmente, uma das providências tomadas, como é o caso do uso de álcool em gel. Durante uma entrega, o profissional responsável pode, por exemplo, utilizar álcool ou spray de álcool 70 nas alças da sacola na hora de entregar ao cliente, ressaltando as medidas de seguranças adotadas. 

Um estudo publicado pela revista científica “New England Journal of Medicine” afirma que a Covid-19 pode sobreviver até 3 dias em algumas superfícies. Por isso, usar álcool na frente do cliente é uma medida eficaz e que contribui com o aumento da confiança. Veja abaixo a tabela do tempo de resistência do vírus:

-Aço inoxidável: 72 horas (3 dias)

-Plástico: 72 horas (3 dias)

-Papelão: 24 horas (1 dia)

-Cobre: 4 horas

-Aerossolizada/Poeiras: 40 minutos a 2h30

Usar luvas como medida de proteção

Assim como as máscaras, as luvas também podem ser fornecidas aos entregadores. Porém, a sua eficácia no controle da disseminação do vírus somente terá efeito quando associado com boas práticas de higiene. A dica é evitar tocar o rosto, boca ou o interior do nariz durante o uso do acessório e, quando possível, lavar as luvas com água e sabão, ou álcool em gel 70. Vale atentar-se também que é necessário não tocar em superfícies coletivas como corrimão ou maçanetas.

Uso de uniformes ou roupas de manga comprida

De acordo com o guia MEDIDAS DE PREVENÇÃO E CONTROLE – COVID-19 divulgado pelo Governo do Estado do Paraná, o uso de avental ou uniformes deve ser adotado para evitar a contaminação da pele e roupa dos profissionais. A indicação é que estas vestimentas sejam de mangas longas. Caso não seja viável utilizar avental ou uniforme, a dica é usar roupas compridas e, ao chegar em casa, fazer a troca de roupa e, se possível, tomar banho. Os sapatos também devem ser deixados na entrada da casa e higienizados. 

Mostrar ao cliente quais medidas estão sendo feitas

Para que o cliente tenha a segurança de que está recebendo um produto que adota todas as precauções necessárias, as empresas podem anexar ao pedido, um impresso informando todas as medidas que estão sendo adotadas. Além de fortalecer a relação entre marca e consumidor, mostra que a empresa está se preocupando com a saúde da população.

Fornecer opções de entrega sem contato

Uma atitude adotada por empresas de delivery de comida como o Rappi e Ifood é a entrega sem contato físico. A opção proporciona ao usuário combinar via mensagem onde a entrega deve ser deixada, por exemplo, na entrada da casa. Como o pagamento é geralmente feito por cartão de crédito ou meios de pagamento online, a interação é nula.

Artigos Relacionados
× Como podemos ajudar?